Nintendo no Brasil. Será o fim? Por enquanto, SIM!


Atenção aos Nintendistas do Brasil! Em decorrência da alta carga tributária no País e dos “desafios no ambiente local de negócios”, a Nintendo está nos deixando oficialmente. E tempo indeterminado.

Indo contra a maré e diferente de outras empresas do ramo, como Microsoft ou a própria Sony, a Nintendo resolveu não instalar uma base no país já há muito tempo. E isso pode ser um claro exemplo para que alguns comentem que ela não ligava tanto assim para seus fãs e consumidores brasileiros. Tanto é, que nem mesmo houve qualquer esforço aparente em atualizar suas e-shops às regras bancárias nacionais, dificultando ainda mais a vida de seus seletos e fiéis seguidores.


No entanto, graças à Gaming do Brasil (subsidiária da Juegos de Video Latinoamérica) seus jogos, consoles e periféricos eram importados e distribuídos por aqui, há quatro anos.

E assim, na manhã de hoje, em um comunicado assinado por Bill Van Zyll (Diretor Geral da America Latina da Nintendo of America) e direcionado à imprensa oficial, informa que não mais serão distribuídos os produtos da Nintendo, no país.


Leia abaixo, na integra, o comunicado oficial:
 “O Brasil é um mercado importante para a Nintendo e lar de muitos fãs apaixonados mas, infelizmente, desafios no ambiente local de negócios fizeram nosso modelo de distribuição atual no país insustentável.
Estes desafios incluem as altas tarifas sobre importação que se aplicam ao nosso setor e a nossa decisão de não ter uma operação de fabricação local. Trabalhando junto com a Juegos de Video Latinoamérica, iremos monitorar a evolução do ambiente de negócios e avaliar a melhor maneira de servir nossos fãs brasileiros no futuro.
Somos profundamente gratos pelo trabalhado duro e pelas muitas contribuições feitas por cada valioso membro da Gaming do Brasil. Nos últimos anos trabalhamos juntos para apresentar os consoles Wii U e o Nintendo 3DS para os fãs brasileiros, assim como nos lançamentos de nossos títulos mais populares”.
Diante desse cenário atual, Bernard Josephs, CEO da Juegos de Video Latinamérica, tenta ser otimista, mas se mantém cauteloso:
“Somos parceiros da Nintendo na distribuição de seus produtos na América Latina há 14 anos e continuamos comprometidos com a marca. E, enquanto nenhuma outra mudança está planejada para outros mercados da região, estamos em uma posição em que precisamos reavaliar nossa abordagem na distribuição no Brasil. Continuaremos a monitorar o ambiente no país para que possamos avaliar futuras oportunidades”.
Infelizmente, é um péssimo início de ano para o segmento gamer.


E para você, a postura da Nintendo em “abandonar o barco” e não mais trazer oficialmente seus produtos ao Brasil é correta ou não? O fato de não haver nenhuma fabrica de seus consoles no país, diferente de seus concorrentes, foi crucial para a tomada dessa decisão?

Vamos lá, comente aqui! Deixe-nos saber sua opinião.
Todos os direitos reservados. Gamesphera - 2016. Tecnologia do Blogger.