Falando de Games #04: Quebrando a cabeça!


“Requebra, requebra, requebra sim, pode falar, pode rir de mim...”

Refrãozinho chiclete cheirando a naftalina para você já entrar no clima e retornar lá no seu passado, quando certa moda invadiu os desejos de muitas crianças! Não, não era a vontade de ganhar um Super Nintendo nem um Playstation ainda, era um mini game viciante, tinha de apenas 1 jogo, outros 18, alguns chegavam a ter 9.999 jogos! UAU! Todos muito parecidos é verdade, mas não importava, porque aquele baratinho tinha o jogo mais cobiçado do momento: o jogo dos “quadradinhos” ou chamando pelo nome de verdade: Tetris! Bora ostentar seu Brick Game no recreio?



Level 1.

Para entender Tetris, primeiro você precisa voltar ao seu tempo de escola e estudar um pouco de geometria! Aqui o tio vai te passar apenas o básico, certo? Então vamos lá! Primeiro passo é entender o que é um poliminó!

Poliminó é uma figura geométrica formada por quadrados iguais, conectados entre si. Para ser um poliminó é preciso que pelo menos um lado de cada quadrado esteja conectado, grudadinho, com o lado de outro quadrado!


Os 35 hexaminós: poliminós formados por 6 quadrados!


Level 2.

A quantidade de quadrados e seu grupo de figuras possíveis recebem nomes, como os hexaminós da figura acima, por exemplo! Você mesmo conhece um poliminó pelo nome e nem sabia que sabia (que o sabiá sabia assoviar!)... Quer ver? Quando a figura possui 2 quadrados é chamado de dominó! Viu como você sabia? E acabou de entender agora porque o jogo de dominó tem esse nome! 




Level 3.

Um desses grupos mais famosos, o pentaminó (poliminó formado por 5 quadrados), originou na Grécia um jogo de tabuleiro, na verdade um quebra-cabeça, que se tornou bem popular na antiga União Soviética! Tá acompanhando o raciocínio? Pois é... E ainda dizem que game é coisa de quem não quer estudar...kkk!




Pois bem! De acordo com o site História do Mundo em plena Guerra Fria, mais precisamente 1984, um matemático russo de nome Alexey Pajitnov teve grande interesse em estudar os pentaminós, pois era um quebra-cabeça capaz de exercitar o raciocínio lógico. Alexey decidiu então simplificar o jogo e retirou um quadrado de cada peça, tendo então tetraminós. A palavra “tetra”, que significa quatro em grego, se juntou ao nome do esporte favorito dele “tênis” e virou Tetris! Nascia o jogo dos quadradinhos! 




Level 4.

Alexey então transportou sua idéia para o computador e transformou o quebra-cabeça em um jogo eletrônico. As peças iam “caindo” e ao chegar à base, tinham que formar uma linha. Depois da linha montada ela desaparecia, dando pontos ao jogador e limpando a tela, permitindo a montagem de novas linhas. Falhas empilhavam as peças e ao atingir o topo o jogo acabava. Tudo simples, porém viciante! Pesquisadores dizem até hoje que jogar Tetris alivia estresse, distrai, ajuda inclusive a combater vícios como a vontade de fumar ou beber! A novidade logo se espalhou e jogos parecidos começaram a surgir! Por ter sido criado na URSS, era automaticamente de domínio público o que ajudou a causar uma grande confusão que veremos a seguir, mas é importante saber que Alexey só foi ganhar dinheiro de verdade com sua criação depois da dissolução da União Soviética e de alguns processos judiciais, e isso só em 1996.




Level 5.

Segundo o site Meio Bit o game foi desenvolvido originalmente para o computador soviético Elektronika 60 em conjunto com Dmitri Pavlovsky e Vadim Gerasimov, este último responsável por portá-lo para o IBM PC, o que foi crucial para que Tetris se tornasse popular. O jogo logo se alastrou por Moscou, não demorando muito para atingir estados-satélites do regime soviético.




Level 6.

Se você achou que aprender sobre poliminós era a parte complicada da história, espere até você pesquisar sobre o que foi a distribuição e licenciamento de Tetris! É espantoso! Tentando resumir, Alexey  negociou com uma desenvolvedora norte-americana chamada Spectrum HoloByte, assim Tetris chegou ao MS-DOS, Apple II, Macintosh, Atari ST, Amiga e ZX Spectrum. Ao mesmo tempo, um desenvolvedor chamado Robert Stein da Andromeda Software descobriu o game e negociou o direito de lançá-lo em outras plataformas. Alegando um mal entendido, Stein passou a negociar a licença do game com outras desenvolvedoras achando que tinha adquirido esse direito. A União Soviética, que detinha “por direito” o controle do produto (por ser considerado domínio público), resolveu colocar ordem na casa inviabilizando assim, qualquer tipo de licença ou direito que as desenvolvedoras e distribuidoras até então, acreditavam possuir sobre o game! Isso abriu uma brecha para a Nintendo entrar na briga de forma “legal”, já que através da sugestão do designer e desenvolvedor Henk Rogers, decidiu lançar o Game Boy com o Tetris, acreditando que ele poderia arrebatar mais compradores do que Mario Bross! Rogers tentou, por engano, negociar a licença com a empresa Mirrorsoft, para quem Stein havia “vendido” a suposta licença e até com o próprio Stein, que no fim das contas não possui licença alguma. Rogers parte então para negociar com a própria comissão da URSS, que negocia com ele, com Stein e com outras empresas ao mesmo tempo, inclusive com a Mirrorsoft, que depois do contado da Nintendo correu atrás também da licença legal, tentando obter o melhor acordo. A intenção da comissão era forçar a Nintendo a dar uma oferta bem alta e depois oferecer o direito de licença para a Mirrosoft através de uma contraproposta. Um desencontro os tirou da jogada, o documento foi enviado via fax a Londres e o representante estava em Moscou, então Rogers consegue fechar o acordo. De posse da licença, a Nintendo começou a fazer a faxina e tirar as versões clonadas de Tetris do mercado e impedir lançamentos em outras plataformas, inclusive no Mega Drive! Ufa! É quase um livro Russo de espionagem! A história completa e detalhada vocês podem ler lá no site da Meio Bit




Game Over!

Tetris foi lançado para aproximadamente 65 plataformas diferentes, o que lhe garantiu uma vaga no Guinness Book e garantiu a ele o posto de um dos 10 games mais influentes de todos os tempos. A versão de Game Boy é a mais vendida dentre as mídias físicas, 35 milhões de cópias comercializadas em todo o mundo. Nos celulares e tabletsTetris e suas variações já venderam 425 milhões de unidades. E como a gente não apoia a pirataria, nem nos preocupamos em contabilizar as cópias presentes nos Bricks Games da vida e que fizeram a cabeça da garotada (e dos marmanjos) dos anos 90... 

E é isso aí! O Falando de Games desse mês foi uma verdadeira aula de matemática, história, negócios e diversão! Espero que tenham gostado! Mandem suas sugestões de assunto, serão muito bem vindas!

Um grande abraço e até a próxima!



*Por Rodrigo Joker



Todos os direitos reservados. Gamesphera - 2016. Tecnologia do Blogger.