Review - Game of Thrones: A Telltale Games Series


A Telltale Games, em parceria com a HBO, criou e ampliou o universo de George R. R. Martin, com  “Game of Thrones: A Telltale Game Series”. Este por sua vez,  é o que melhor representa a imersão em Westeros, no nível que merecemos (como fãs e gamers que somos), com a introdução de uma nova Casa - FORRESTER, à trama e busca pelo trono dos Sete Reinos.




A Casa Forrester localiza-se na região Norte de Westeros, tendo sua sede, Ironrath, localizada no interior da Mata dos Lobos. Essa casa é citada brevemente nos livros, mas sem qualquer detalhe a respeito de seus costumes. Eles são responsáveis pelo cultivo e manutenção de Ironwood, “a madeira mais resistente do Mundo Conhecido”, como sugere Meistre Ortengryn. E é claro que outras Casas desejam essa riqueza.


Como podemos perceber, seus membros lembram muito os Starks. Lorde Gregor, por exemplo, assim como Eddard, é conhecido como um homem extremamente honrado – o que lhe rendeu o título de “Gregor, o Bom”; seu filho mais velho, Rodrik, é um guerreiro habilidoso e respeitado, assim como Robb; enquanto o caçula, Ryon, lembra Rickon até no nome. De certa forma, isso foi até proposital, pois faz com que o jogador se sinta familiarizado, e se apegue rapidamente aos personagens.

Outro elemento que contribuiu bastante para a imersão do jogo foi a paleta de cores. Os gráficos, apesar de cartoonisados como na maioria dos jogos da Telltale, possuem um certo grau de realismo. Basta ver como os personagens originais da série ficaram idênticos a seus intérpretes no game. É perceptível também o cuidado dos desenvolvedores em manter a identidade visual da série, como Ironrath, que poderia perfeitamente integrar a produção cinematográfica da HBO, aos Sete Reinos idealizados. E o tema de abertura? Que maravilha! Ficou igualzinha a da série! Trabalho excepcional.


Mantendo o esquema do jogo - point-and-click, a ação não está muito presente no episódio inicial. Contudo, existem momentos em que a velocidade é o que prevalece, seja ela com a espada (e com o controle) ou pelas palavras. Na realidade, esses momentos são raros, em que o jogador precisa acertar determinadas sequências de botões para evitar a morte ou como é denominado no game, “Valar Morghulis” surgindo na sua frente.

Como era de se esperar, no mundo de Game of Thrones, palavras e ações podem ferir mais que espadas afiadas. Logo, os difíceis diálogos pelos quais passamos são mais interessantes que os momentos de “ação”. Principalmente se aprecia uma boa trama e mais ainda por se tratar de Game of Thrones. As decisões a serem tomadas são verdadeiramente tensas! Em vários pontos desses diálogos, os jogadores terão a chance de responder como o personagem que está controlando no momento. Ao longo do game, iremos controlar os principais membros da Casa Forrester e que ajudam a definir características para cada personalidade.


No episódio inicial, certamente serão poucas as escolhas que fazem uma diferença imediata à narrativa, mas quem, assim como eu, que já joguou outros jogos da Telltale sabe que, em muitos casos, as decisões que são feitas no primeiro capítulo só vem a influenciar muitos capítulos à frente. Torço para que isso se repita. Tenho certeza que será...



E vocês, o que acharam dessa nova série da Telltale?
O que acham que o futuro reserva para Ironrath?
Fiquem à vontade para dividir suas opiniões, aqui nos comentários.


Todos os direitos reservados. Gamesphera - 2016. Tecnologia do Blogger.