Review - Mad Max



Sem dúvida, todos nós esperamos por tempo demais para o mundo aberto pós-apocalíptico de Mad Max. Depois de passar a maior parte da semana passada, no mundo Mad Max (revendo inclusive à todos os filmes), encontro-me plenamente ambientado neste deserto selvagem. Embora possa não ser a experiência definitiva que todos estavam esperando, Mad Max ainda sim é um jogo de aventura de mundo aberto cheio de personalidade.

Apesar do popular filme Mad Max: A Estrada da Fúria, o jogo não possui nenhuma ligação direta com ele. E gostei dessa ideia de separar do filme, pois sempre temos que comparar jogos baseados em filmes e que sempre tendemos a rejeitá-los.


O jogo se inicia com um estrondo de um grupo de Meninos da Guerra, que são controlados pelo senhor da guerra Scrotus (?!), derrubando Max e junto com ele, o seu Interceptor V8. Além de saquearem tudo, armas e equipamentos, os Meninos da Guerra o deixam para morrer no sol quente do deserto. Eventualmente, Max busca forças suficiente para vagar sem destino, onde ele conhece um corcunda chamado Chumbucket. Este estranho é um mecânico talentoso que idolatra Max e está preparado para fazer o que é preciso para construir o Assassino das estradas, o Magnum Opus. Os dois formam rapidamente uma parceria embarcando em uma jornada para construir o Magnus, com o objetivo simples de vingança sobre Scrotus e seus meninos da guerra.


Diferentemente das cenas de abertura, o ritmo inicial do jogo se mostra mais lento e cadenciado. As primeiras horas são destinadas ao tutorial, ensinar-lhe os mecanismos de jogo. Dito isto, uma vez que essas primeiras horas sejam superadas, você começa a sentir-se como se soubesse o que está fazendo lá fora, e o jogo se transforma em um passeio de emoção e difícil de largar.

Não é apenas pelo comportamento rude Max,  o combate entre os veículos ou o mundo massivamente devastado e impressionante que torna Mad Max um jogo satisfatório. É o pacote inteiro! Mad Max bebe da mesma fonte de elementos encontrados em Batman, Shadow of Mordor, Far Cry e até mesmo a série Burnout. Não há realmente nada de particularmente inovador que o jogo nos traz; no entanto, é a soma das suas partes que fazem valer à pena.


Todo o universo desse mundo é vivo. E isso é algo que você vai descobrir rapidamente, a caminho de seu primeiro destino da missão. A quantidade de variedade é razoável. Você vai queimar depósitos de combustível, lutar contra as gangues, derrubar seus totens de intimidação, áreas de coleta de sucata, saltar a bordo de um balão de ar quente para o mapeamento da terra, encontrar um  misterioso sujeito que confere upgrades, e ainda participar em corridas da Morte. 


Sua progressão no jogo é notadamente bem feita. Você pode atualizar tudo, desde a barba Max, suas armas, carro, saúde, ferramentas, movimentos de combate, e muito mais. 


O combate de veículos é o grande destaque para muitos como eu. Triturar um outro veículo ou usar seu arpão para puxar um motorista para fora da janela é incrível! A emoção de desmantelar um comboio de bandidos insanos com seus carros é emocionante e há tantas maneiras criativas para isso. O combate corpo a corpo é pouco empolgante, embora tenha como característica a sensação de familiaridade que lhe permite se tornar um lutador eficiente ao longo do jogo.

Visualmente o jogo é bem bonito, usando o hardware dos consoles perto de sua capacidade. Não há dúvida de próxima aventura de Nathan Drake provavelmente irá superar com facilidade esse quesito, mas por hora Mad Max é apresenta um visual empolgante. A terra desolada em um mundo aberto é lindo e parece não ter fim. Há longos e extensos trechos de terra onde não há nada ao redor, batendo aquele sentimento de solidão na vastidão do deserto.


As animações de personagens e veículos são muito bem retratadas e detalhadas. Porém a movimentação de Max, em combate, poderia ser melhorada. O pulo é ridículo e nada pode ser ultrapassado utilizando o salto. Essas falhas bem que poderiam ser corrigidas com um patch... Na questão de Som, Mad Max mostra-se tão bom quanto o visual e traz uma trilha sonora memorável, uma dublagem fantástica e carros que roncam como fazem nos filmes. Experimente aumentar o volume e jogar Mad Max. É um show!

Caso Mad Max tivesse sido lançado há 1 ano atrás, mais ou menos, poderia estar falando de um foco diferente. Mas com tantos outros jogos fantásticos de aventura em mundo aberto, por ai, não teve um bom timing de lançamento, prejudicando assim uma analise mais favorável. Com um combate de veículos glorioso, Mad Max é um jogo pode facilmente absorver 50 horas, com facilidade.


Veja também:


Todos os direitos reservados. Gamesphera - 2016. Tecnologia do Blogger.